Mensagens de Mensagens Dia dos Pais

A Gravidez de um Pai

A gravidez de um pai não se dá nas entranhas, mas fora delas.
Ela se dá primeiro no coração, onde o sentimento de paternidade é gerado.
Um desejo de ser e de se ver prolongado em outra vida, que seja parte de si mesmo,
mas com vida própria. Imagino que deve ser frustrante a princípio.
Durante toda a espera, um pai é um pai sem experimentar o gosto de ser,
sem os inconvenientes de uma gravidez, mas também sem as lindas emoções que tanto mexem com a gente.

E quando ele sente pela primeira vez a vida que ajudou a gerar, tudo toma outra forma.
Ele sente um chute e se diz já que este será um grande jogador de futebol.
E muitas vezes se surpreende e se maravilha quando vê uma princesinha que sabe chutar tão bem.
Mas tanto faz. Está ali um sonho que se torna palpável.

E um parto de um pai se dá quando ele pega pela primeira vez sua criança nos braços,
quando ele se vê em características naquele serzinho tão miudinho que nem se dá conta
ainda que veio ao mundo e que se tornou o mundo de alguém. E os sentimentos e emoções
se atropelam dentro dele. E ele sente que, à partir desse instante, a vida nunca mais será a mesma.
E ele precisa olhar dez, cem, mil vezes para acreditar que tudo não passa de um sonho.
E geralmente há um enorme sentimento de orgulho que toma posse dele.

Assim se forma um pai. Pronto para ensinar tudo o que aprendeu da vida,
um dia ele descobre que não sabe realmente muito, que na verdade aprende a cada instante.
Diante da sua criança ele se torna um adulto vulnerável e acessível.
E vai gerando, pouquinho a pouquinho, dentro de si mesmo, a arte de se tornar um pai.
Feliz dia dos Pais!

Mensagem Emocionante ao Pai

Pai, desde que fui semeado aqui, minha Vida não tem sido ruim.
No começo eu fui tomando forma, fui crescendo, crescendo e,
agora, eu já pareço uma cópia (meio achatadinha) de você.
Pai, como tem água aqui!

Antes de sair, quero lhe dizer que não estou com medo.
Alguns anjinhos me contaram que vou morar num lugar
apelidado de ? Planeta Água ?.
Então, creio que não vou estranhar muito.

Quero avisar-lhe que na hora em que eu sair, vou abrir
um berreiro daqueles, tá?
Afinal, vou dar de cara com um baita espaço e muita
gente estranha em volta de mim !

No começo vou dar um pouquinho de trabalho, viu?
Até eu me habituar, muitas vezes vou acordá-lo
por causa de dorzinhas de barriga, de ouvido, resfriadinhos
e aquelas coisas próprias de gente muito pequena.

Ah! ? não fique com ciúme da mãe, viu?
Por algum tempo ela deixará você meio em segundo plano,
pois estará por demais ocupada com a grande
novidade chamada EU.
Isso não quer dizer que o Amor dela por você terá diminuído.

Na continuação, tudo irá se ajeitando, o Amor que teremos
um pelo outro aumentará cada vez mais e, um belo dia,
você se verá encomendando uma correntinha com um
pingente de ouro incrustado com meu primeiro dente de leite.
Isso sem falar nas minhas botinhas, que você levará
penduradas no espelho retrovisor do carro!

Mais adiante irei para a escola, nos finais de semana brincaremos
juntos e, finalmente, um dia estarei crescido, talvez do seu
tamanho ou até maior.

Lembrarei com saudade dos maravilhosos momentos que
teremos passado juntos e, em todos os meus aniversários,
eu lhe darei mais um daqueles emocionados abraços, dizendo:

?Segura mais esse, Pai!
Filho criado é trabalho dobrado!?

Tô chegando, Pai!

No Olhar do Meu Pai

Na mente lances repletos de intensa vida. A visão de si e do mundo nos chegam pelos olhares mais frequentes com os quais convivemos. É impossível não nos lembrarmos dos olhares paternos. Olhar de aprovação, olhar de reprovação, olhar de ternura, olhar de admiração. Emoções tornadas visíveis. ?Os olhos são o espelho da alma? expressa o dito popular. Sim, muito mais do que as palavras, os olhos nos falam.

As palavras nos servem para reproduzir nas entrelinhas as marcas profundas de dias em que nos olhamos. Alguns olhares, apesar de não serem verbalizados, permanecem arraigados nas profundezas da alma. Muitos desses olhares com o passar do tempo agem como o foco das lanternas, iluminando os caminhos que percorremos.

Dentre tantas lembranças, gosto do mundo da alegria, das festas familiares. Muita música, muitos quitutes; crianças e adultos no farfalhar dos gestos. Como nada dura para sempre, em seguida o trabalho; colocar tudo no seu devido lugar. Muito próxima a meu pai, correndo de um lado para outro, no desejo de atender aos seus pedidos. Lembro-me dele jovem, cheio de vigor, olhos brilhantes e confiantes. Da sua confiança a minha confiança. Lembro-me também de seus olhos tristes, acabrunhados, desesperados na perda de sua mãe. Da sua tristeza fez-se a minha também.

Pai, ?pai herói?, na infância parecia-me perfeito. Com seu carinho sentia-me amada. Com seu olhar orgulhoso, sentia-me única e bela. Sob seus olhos criei minha auto-estima. Contudo, na adolescência pareceu-me enfraquecido e não reconhecia mais o meu herói. Dei-me conta da sua humanidade. No transcorrer do tempo, as perdas de emprego, da juventude, da mãe. De perda em perda o vi transformando-se. A dignidade e humor intactos, mas o corpo curvado e o olhar embaçado. O meu orgulho pelo pai herói transformou-se em orgulho pelo homem e em imensa gratidão e ternura.

No compasso do tempo somamos diversos e diferentes olhares. Como marca, trago para a vida um olhar atento para este mundo tão transformado, cada vez mais violento e desumano, mundo não alcançado por meu pai. Por vezes, busco no meu íntimo sua referência e extraio dela uma nova visão. Uma visão que me permite ter esperança. Esperança de olhares ternos, solidários e mais justos.

Hoje, as formas de reprodução dos olhares ampliaram-se através da tecnologia. Formas que nos permitem registrar momentos para a posteridade. Os meios de comunicação ampliam os horizontes das pessoas. Mistura-se o real ao imaginário. Mas, os principais registros dos nossos olhares são aqueles que ficam do nosso cotidiano.